Conexão Digital
07/08/2015
Quer destacar sua empresa em meio à crise?

    Faça de sua empresa a bela fruta a ser escolhida pelo consumidor na feira que é o mercado.

    Se você sente que algo está errado, pois os custos são altos e os clientes não fazem mais negócios, leia este artigo e veja algumas ações que você pode tomar para vencer na crise.

    Sendo simpatizante ou não da atual gestão no Governo Federal, de alguma forma ou de outra, todos já perceberam que 2015 está sendo um ano atípico.

    Mas não vamos entrar no mérito de discutir os motivos e personagens que nos trouxeram para a tal crise econômica, que já acordou o tão famoso dragão da inflação e o temido monstro das demissões. 

    Vamos discutir como sobreviver e, quem sabe, se reinventar em um cenário com crédito mais caro, escassez de investimentos e com os consumidores segurando capital.

     

     

    1 - Reinvente-se no que você sabe mais

    Diversificar pode ser um caminho mais fácil neste momento, mas tome. Investir na divulgação e melhoria dos processos no desenvolvimento de produtos e serviços que você tem mais experiência é o melhor que você pode fazer. Se você conhece muito bem o produto ou serviço que comercializa, invista no seu core business¹. Certamente você e sua equipe terão condições de se reinventar. Neste momento, manter a receita de meses anteriores até que o cenário econômico volte a se estabilizar já é uma boa saída. Além disso, há grandes possibilidades de aumentar a receita com quem você já tem como cliente.


    2 - Análise da situação e posterior atitude

    O que você e sua equipe podem fazer diferente para ter menos custos, agregar valor ao produto ou serviço e vender mais? Analisar em minúcias o workflow² de sua empresa desde a chegada do cliente na parte comercial, passando pelo setor de produção, até a venda e posterior pós-venda pode lhe mostrar claramente o que fazer.

    Não use receitas de bolo prontas para sair envolvendo sua equipe em ações espetaculares, gastando muita verba desnecessária sem antes analisar as entranhas de sua empresa e todos os processos. Cada empresa tem sua particularidade e cada equipe possui uma forma especial de executar um processo. Mas é importante para o gestor ter claro conhecimento do que está sendo feito e como as ações de cada departamento são tomadas. Analisando o processo você pode cortar custos, investir onde é necessário e “azeitar” a produção. Se tiver a possibilidade, invista em uma consultoria externa, certamente será a forma mais rápida e precisa chegar às conclusões necessárias.

     

    3 - Corte onde puder, mas não corte o que é essencial

    Após analisar a situação da empresa, pense nos cortes necessários para reduzir os custos e aperfeiçoar a parte financeira da empresa. Tenha em mente as consequências que o corte pode gerar, pois um corte num setor ou ação essencial no workflow¹ da empresa pode retirar do tabuleiro uma peça que não poderia faltar.


    4 - Corra dos bancos até onde puder

    A menos que você tenha uma oportunidade ímpar de um negócio e precise comprar equipamentos ou contratar novos membros para a equipe sabendo que terá uma receita próspera em curto ou médio prazo, corra dos bancos neste momento.

    Com taxas de juros ainda maiores do que os absurdos anteriores, os bancos são os piores locais para se buscar capital em um momento de crise. Dependendo do capital necessário, muitas vezes pode ser mais indicado vender parte da empresa a um investidor do que buscar recursos em um banco.

    Prepare-se para um telefonema ou uma visita de seu gerente para negociar novos serviços bancários para a tal reciprocidade. Uma estratégia atual dos bancos é aumentar as taxas de administração de alguns serviços para depois negociar uma redução nestas taxas em troca da comercialização de outros serviços para sua empresa. Tome cuidado, avalie a situação e estude a possibilidade de contratar com o mesmo banco um serviço que você tem com outra empresa. Exemplo: se você tem um seguro com uma corretora, avalie a possibilidade de contratar com o banco. Assim, você faz o que o banco esperava para a negociação e continua gastando o mesmo capital, só que com um único fornecedor.

     

    5 - Corra atrás de oportunidades

    Avalie com quem você pode se associar para gerar novos negócios.

    Quais tipos de profissionais, empresas e entidades você pode fazer parcerias para a abertura de novos canais de negócios? Pense que quanto maior for a quantidade de parceiros que podem atrair novos negócios, maior a possibilidade de atrair novos clientes.

     

    6 – Melhore a imagem de sua empresa e invista em publicidade

    Num mundo cada vez mais conectado e com diversas empresas concorrendo em um cenário de instabilidade financeira, quem vai vencer é quem apresentar o melhor produto ou o serviço com o melhor preço e com a qualidade média esperada pelo consumidor. Neste sentido, o que você precisa é mostrar ao seu público que você é a melhor opção entre as empresas que ele está avaliando a negociação.

    Mas como fazer isso sem gastar muito?
    A resposta é a Internet, pois é o canal de comunicação onde o retorno do investimento (ROI – Return On Investiment) feito por sua empresa em divulgação será maior. Além disso, só na divulgação de sua empresa na internet você poderá mensurar exatamente qual é o seu público, de que cidades ou até países os interessados estão vindo e inclusive como o público está procurando nos sites de busca (Google, Bing, Yahoo etc) pelos produtos ou serviços que você comercializa.

    Invista na melhoria da imagem de sua empresa, sobretudo na Internet. Faça um site ou remodele o atual para destacar sua empresa e o que você faz. Invista em campanhas de links patrocinados no Google e seus sites parceiros (Google Adwords). Esteja presente nas redes sociais mais adequadas ao seu negócio, em especial no Facebook, seja na geração de conteúdo ou apenas para anunciar, e não deixe de interagir com seu público, seja para dúvidas, reclamações ou sugestões.

     

    7 – Faça de sua empresa a bela fruta a ser escolhida pelo consumidor na feira que é o mercado

    Neste item não há muito que falar, pois você já conhece as regras. Faça com que sua empresa seja aquela fruta bonita que o consumidor quer levar para casa e não a fruta enrugada e meio caída que fica para o final da feira.

     

    Quer ajuda para se destacar na Internet e vender mais?

    Fale com a nossa equipe e venha tomar um café conosco!
    Avaliaremos a situação de sua empresa na Internet e auxiliaremos você e sua equipe a se destacar no mercado e vender mais.

     

    Vicenzo Berti - EquipeDigital.comVicenzo Berti é sócio da EquipeDigital.com e trabalha com internet desde o milênio passado. Já trabalhou com vários projetos digitais no Brasil, em Portugal, Canadá, outros estados brasileiros e principalmente em Florianópolis/SC, onde reside. 

     

     

    Glossário:
    1 - Core business: Core business é uma expressão em inglês que significa "a parte central ou nuclear de um negócio ou de uma unidade de negócios". Esse conceito muitas vezes é confundido com "modelo de negócios". Como essa noção de "modelo de negócios" é muito ampla, com definições divergentes, seria melhor definir 'core business' como sendo a "sacada" ou "ideia básica" do negócio. (Portal www.administradores.com.br )

    2 – Workflow: Workflow significa fluxo de trabalho, em português, e seu conceito é de uma sequência de passos necessários para automatizar processos, de acordo com um conjunto de regras definidas, permitindo que estes possam ser transmitidos de uma pessoa para outra. (Portal www.significados.com.br )

     

    Leia também:
    - Como anunciar na Internet;
    - Como aparecer no Google;
    - 10 tendências de Internet e empreendedorismo para 2016;
    - Inteligência competitiva para projetos e site;
    - Veja o que o Inbound Marketing pode fazer pela sua empresa!